Alicia Keys e a rejeição das negras escuras

O que os aplausos à campanha #nomakeup /sem maquilhagem de Alicia Keys dizem sobre o grande elefante branco na sala das feministas negras.

A cantora norte-americana Alicia Keys tomou um bravo passo posicionando-se contra a ditadura de beleza que obriga as mulheres a maquilharem-se todos os dias, escondendo as partes de si que menos gostam e realçando os traços que as aproximam ao ideal de beleza que tanto procuramos alcançar.

Para uma artista como ela que serve de inspiração para muitas adolescentes, jovens adultas e mulheres, a manipulação da sua imagem  promove um ideal de perfeição inalcançável. Uma imagem que não corresponde à realidade e que deturpa a imagem que temos de nós mesmas.

preen-alicia-keys-no-makeup-in-common-paola-kudacki1-e1465111154301
Alicia Keys para Fault Magazine

No entanto, Alicia não é a primeira mulher americana negra a tomar uma posição contra essa cultura.

No ano passado Lupita Nyong’o e Viola Davis, entre outras artistas, fizeram um ensaio fotográfico para a revista Vanity Fair em que posaram completamente desvestidas de maquilhagem.

 

Como mulheres negras e escuras, os seus traços foram imediatamente ridicularizados e as actrizes foram ostracizadas por não estarem “glamurosas” o suficiente.

blog-post-viola-davis-3No seu trabalho em “How To Get Away With Murder/ Como Defender um Assassino”, Viola Davis representa uma sensual advogada negra, com uma carreira de sonho e uma vida abastada e emocionante.
Numa das cenas mais icónicas da série, Viola tira a peruca e a maquilhagem preparando-se para dormir, mostrando essa dualidade que muitas mulheres negras vivem: por um lado são livres e fortes; por outro, são completamente reféns de um padrão de beleza longe da sua verdadeira face que só enfrentam no escuro da sua própria intimidade.

Lupita, por sua vez, escolheu um papel mais discreto às luzes de Hollywwod, para trazer diferentes representações da mulher negra daquelas que estamos cansados de ver.

Para além disso, ambas têm vindo a trazer essa luta para o tapete vermelho, preferindo o cabelo natural e mostrando a versatilidade e beleza que daí pode vir. Um exemplo perfeito é o penteado escolhido por Lupita para a Met Gala, em que a atriz se inspirou na África Ocidental.

Mas infelizmente, o trabalho feito por estas duas é ignorado.

Aparentemente não há espaço no Feminismo Negro para as mulheres escuras. Para mulheres de lábios grossos. Mulheres com carapinha.

O nosso silêncio perante o trabalho destas mulheres evidencia o colorismo que nos orienta, e o racismo aí escondido.

Queremos apenas os traços mais finos: o nariz em bico e lábios discretos. Queremos o cabelo em cachos e a pele mais clara.

Porquê?

Que Feminismo é esse e para quem?

15 thoughts on “Alicia Keys e a rejeição das negras escuras

  1. Triste realidade.. o quanto a reprodução do racismo é sutil, silenciosa, e por isso, é ainda mais perversa. Essa imagem estereotipada, estes signos imagéticos que tantos queremos reverter, está encrustado no nosso subconsciente coletivo, e relevar isto à nós mesmas é tão cruel quanto alguém se arrisca a nos demonstrar. A desconstrução é progressiva, e a cada dia lutamos contra nós mesmas, viramos policiamos nossos pensamentos, entramos num estado de vigília das nossas ações. A luta não é só social, a luta, antes de tudo, é psicológica!
    Força pretas, força para com os outros, e contra o que “achamos que ainda não somos”!

  2. Sempre escuto frases que visam me tranquilizar sobre o racismo, da minha família descende de um ex escravo alto de olhos negros profundos e uma pequena portuguesa sai eu e meu irmão os únicos descendentes ainda de pele bem escura, “isso é coisa da sua cabeça”ou “aff !Só vc se preocupa como está seu cabelo” ou Qdo vc está máquina vc fica tão mais bonita… Eu tenho uma boa orientação desde pequena que devo ser o meu melhor e que não devo deixar os outros diminuirem quem sou mas hoje com 34 anos vejo o qto ainda há de exigências para as mulher negras. Mas eu nunca vou deixar de falar pra quem quiser ouvir que isso é coisa da minha cabeça sim pois meus crespo incomoda.Obrigada Woopi Goldberg que mudou desde cedo meus hábitos.

    1. Eu acho que esse assunto sempre é muito delicado, especialmente para a família. Se por um lado, eles querem te preparar para o mundo, por outro também te querem proteger. Então tem aquela dose de ignorância/ ingenuidade que eles querem manter para você não perceber como a opressão funciona. Eu sinceramente não sei como iria/irei ligar com a situação se na minha casa tiver vários tons de negro, e eu tiver de preparar todos eles para enfrentar o mundo. Então eu encaro isso com mais compaixão… Como alguém te vai “ensinar” a lidar com o racismo se a pessoa nem reconhece isso? E como te vai preparar para o mundo encarando o racismo, mas ao mesmo tempo incutindo esse sentido de responsabilidade e ambição?

  3. Realmente as mulheres negras de pele escura não são representadas e quando tentam fazer isso “representar” somos ignoradas quero ver uma negra de pele escura cabelo crespo atenção que escrevi crespo e nao cacheado, e magra sim magra, porque as negras são representadas como as mulheres cheias com rabao e peitao então fico a pensar quem vai representar uma mulher negra como eu? negra de pele escura, nariz largo, boca grossa, cabelo crespo e magra que nem modelo de passarelle? estou a espera!

  4. Achei super válida a discussão! Precisamos refletir como fazemos feminismo, mas gostaria de deixar meu olhar sobre o texto. Até onde sei Alicia tomou a decisão de não mais usar make, enquanto a Lupita e a Viola não usaram na tal sessão de fotos. Entendo que as atrizes botam a cara no sol mesmo quando vão para as premiações realçando a beleza natural da mulher negra, mas ao meu ver a decisão da Alicia também celebra essa mesma beleza. Acredito que esta não tenha sido a sua intenção ao escrever e sei realmente que não foi tão novidade a ação da Alicia, mas lendo tive a impressão de que porque ela tem a pele mais clara sua atitude deve ser desmerecida em relação a da Lupita e a da Viola. No mais, apreciei o texto! Um abraço! 😉

    1. Atenção que eu não descredibilizo o trabalho da Alicia Keys. Acho que ela merece todos os aplausos que tem, só acho que esse trabalho deve ser contextualizado com outras iniciativas e especialmente de mulheres cuja beleza foge ainda mais desse padrão. De que vale não usar maquilhagem, mas andar sempre atrás das dietas para ter o corpo perfeito? Ou tirar a maquilhagem mas querer ter o cabelo liso pagando até com a própria saúde? Ou tirar maquilhagem mas ver filmes e séries sem quase nenhum negro bem representado? Então, é disso que precisamos: aplaudir todas elas.

  5. Valid Point. Acho que em parte esta enraizado deep mesmo, na consciencia negra, o sentimento de inferioridade ou de menos capacidade, determinado pela cor. Quanto mais clara for a pele, mais validada é beleza, inteligencia e muito mais. Acontece muito com os nossos cabelos carapinhados, quanto mais rolos definidos tiver, mais bonito sao, e sao estes usados para fazer o marketing de produtos para cabelos naturais. Mas para quem nao tem misturas raciais na sua linhagem, o cabelo é bem duro e com cachos menorzinhos…. No final do dia, temos todos de saber valorizar a nos proprias.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s